DAQUI, o Jornal do Distrito Federal

terça-feira, 1 de março de 2016

Enfrentamento ao Aedes aegypti segue como uma das pautas prioritárias do governo

Lago Sul, São Sebastião, Brazlândia, Gama, Lago Norte, e Plano Piloto receberam, vigilantes ambientais da Secretaria de Saúde do Distrito Federal. Cerca de 700 profissionais visitaram essas regiões dando prosseguimento às ações de combate aos focos do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, da chikungunya e do zika vírus. Dez equipes estarão com bombas costais e borrifarão veneno em locais propícios à proliferação do inseto.
Das 18 às 22 horas, 10 carros fumacês percorrem as ruas dessas localidades. O diretor de Vigilância Ambiental em Saúde, Divino Martins, explica que o horário escolhido para a ação é estratégico em função da menor incidência de ventos. “Durante a chuva e com fortes correntes de ar, o produto se dispersa muito facilmente.”
Até o fim deste mês, o combate ao inseto em Brasília receberá o reforço de 30 carros fumacê, adquiridos pela Secretaria de Saúde. Atualmente, o governo dispõe de 11 deles. Foram comprados também 27 veículos especificamente para deslocamento de equipes de combate ao mosquito, 30 bombas costais para dispersão de inseticida e 12 mil armadilhas. O investimento chega a R$ 9 milhões.
3.060 militares das Forças Armadas iniciaram em Brasília e em 100 cidades do Brasil, a terceira fase da ação. O objetivo é visitar residências, conversar com a população e distribuir material informativo com orientações de como evitar o acúmulo de água parada.
Agefis
A Agência de Fiscalização (Agefis) também está engajada na erradicação dos focos de dengue. São 210 inspetores da Superintendência de Fiscalização de Limpeza Urbana empenhados em identificar entulhos passíveis de abrigar larvas do inseto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário