DAQUI, o Jornal do Distrito Federal

segunda-feira, 30 de julho de 2012

Partido Pirata do Brasil é criado e tem como bandeira a inclusão digital

Partido Pirata do Brasil (PPBr) foi criado oficialmente na noite do último sábado, 28, em um evento realizado em Recife, no Pernambuco, que contou com a presença do idealizador do Partido Pirata no mundo, o sueco Rick Falkvinge, e mais de 100 pessoas de 15 estados do país. Na ocasião, os militantes elegeram a primeira direção nacional do PPBr e assinaram o programa e o estatuto do partido. O próximo passo é legalizar a formação da legenda encaminhando os documentos necessários ao TSE e coletar 500 mil assinaturas de apoio do eleitorado. Até que ocorra essa legalização, não é possível se filiar ao partido.
O movimento político, que surgiu a partir da rede Internacional de Partidos Piratas, uma organização de ativistas de tecnologia, tem como bandeira a inclusão digital, o uso de softwares livres e a construção de políticas públicas colaborativas. Segundo o portal Terra, o Secretário Geral do partido no país é Alexssandro Albuquerque “Bauer”.

O estatuto aprovado já está disponível e, de acordo com o documento, o partido é uma “associação voluntária de cidadãos que se propõem a lugar pela proteção dos direitos humanos, por liberdade de expressão, pelo direito civil à privacidade das informações em todos os suportes e meios de transmissão e armazenamento, pela liberdade de aquisição e de compartilhamento de conhecimento e tecnologias, incluindo transformações políticas e sociais, institucionais, econômicas, jurídicas e culturais destinadas a garantir a propagação da informação de forma livre e sem impedimentos, com o objetivo de colaborar na construção e desenvolvimento de um Estado Democrático de Direito mais transparente e justo".
Até o momento da publicação desta matéria, a página do PPBr no Facebook já contava com mais de 3.500 "likes".

domingo, 29 de julho de 2012

Distritais voltam às atividades



Editar
Parlamentares retornam ao trabalho na quarta-feira e o assunto de maior relevância continua sendo o PDOT
Wasny de Roure é o líder do governo
Mais um semestre de trabalhos vai começar na Câmara Legislativa e o assunto prioritário é o mesmo de períodos anteriores: o Plano Diretor de Ordenamento Territorial (PDOT). Porém, desta vez, foi determinada uma data limite para que o assunto seja votado: 14 de agosto.
Os deputados terão até 6 de agosto para apresentar suas emendas. “É fundamental votar e não tem por que não fazer isso.
Já houve um amplo debate na sociedade, com um papel importante da Secretaria de Desenvolvimento Urbano Habitação e Regularização (Sedhab). O PDOT planeja a cidade, sinaliza para o desenvolvimento de Brasília”, aponta o deputado distrital, Chico Vigilante (PT).
O presidente da Comissão de Desenvolvimento Econômico Sustentável, Meio Ambiente e Turismo da Câmara e relator do Projeto de Lei Complementar nº 17/2011, encaminhado pelo GDF, deputado Rôney Nemer (PMDB), disse que as mais de vinte  emendas ao texto têm o objetivo de evitar que partes da lei sejam declaradas inconstitucionais, a exemplo da que está em vigor. Entre esses pontos, sobretudo, está a transformação de áreas rurais em urbanas e vice-versa.
Conforme observa a líder da oposição, deputada Eliana Pedrosa (PSD), fora o PDOT, que já tem data marcada para votação, não se sabe quais projetos serão prioridades no retorno aos trabalhos, a partir de 1º de agosto. “Aqui na CLDF, como o governo tem uma proporção descomunal com relação à oposição, quem faz a pauta é o governo. Nós procuramos fazer o que está ao nosso alcance, que é lutar para que os projetos não cheguem ao plenário sem discussão com a sociedade”, diz a distrital.
Outros projetos também foram acertados entre as lideranças e o presidente da Casa, segundo o líder de governo, Wasny de Roure (PT), para serem prioridade neste primeiro mês do segundo semestre. “Um deles é a questão da regularização dos imóveis em becos de Ceilândia. Temos, ainda, a questão da autorização para construção de áreas esportivas e recreativas nos estabelecimentos de ensino”, frisa o distrital.
Wasny ressalta, ainda, como prioridades, as prestações de contas de 2010 e 2011, que deverão ser analisadas e a questão da mobilidade urbana do DF, com a compatibilização do transporte público urbano.
Projetos
Além dos assuntos mais importantes, os deputados trabalham para projetos de sua autoria ou que eles defendam entrem em pauta. É o caso de Chico Vigilante, que quer ver em votação o projeto que permite a instalação de postos de combustível em supermercados.
Eliana Pedrosa tem trabalhado no gabinete durante as férias, recebendo lideranças e analisando temas que poderão receber atenção. “Estou trabalhando muito agora para fazer uma consolidação das leis relativas a pessoas com deficiência. Há, hoje, no DF a nível federal, um conjunto de leis, as quais poucas pessoas têm conhecimento.
Busco simplificar isso e que os deficientes tenham acesso às informações”, explica a distrital, que também diz está trabalhando a questão dos alvarás. “É muito burocrático e incomoda o setor produtivo do DF. Há um PL em tramitação e serão realizadas audiências públicas em algumas cidades para discutir isso”, diz.
Além do PDOT, Roney Nemer também tentará colocar em pauta outros projetos, como o que dispõe sobre a obrigatoriedade de plataforma elevada aos portadores de necessidades especiais em todos os locais onde acontecerem eventos musicais e artísticos realizados no âmbito do DF. Outro projeto que ele busca colocar em pauta é o que isenta o cidadão desempregado do pagamento da taxa de inscrição em concurso público no DF.
Professor Israel pretende aprovar a a Lei Geral dos Concursos Públicos, que regulamentará os processos seletivos no DF. “No primeiro semestre, realizamos um amplo debate na Casa com concursandos, especialistas e entidades da área, levantamos as propostas e apresentamos as emendas ao texto”, observa.
Eleição
Apesar de o assunto ser frequente na imprensa desde o início do ano, o tema reeleição parece longe da pauta na CLDF. As lideranças dizem que ainda é cedo para discutir sobre isso, mas a maioria se mostra contra o projeto de levar o atual presidente por mais dois anos ao cargo. Mas Nemer ressalta: “não é nada contra Patrício, seria para qualquer pessoa.
Dois anos é suficiente para ficar no cargo”. Chico Vigilante também diz que os deputados de sua bancada são contra. “A favor da reeleição, só mesmo o presidente da Casa. Acreditamos que a renovação é salutar e fundamental”, diz.
Já a líder da oposição prefere não opinar sobre o assunto. “O PSD e o bloco não se reuniu ainda para definir se é contra ou a favor à reeleição. Só vamos falar quando for colocado em pauta e não será uma escolha pessoal, mas sim do partido”, diz Eliana Pedrosa.
Já o distrital Professor Israel, que entrou para o recém-criado PEN, diz que o partido não tem trabalhado o tema. “Isso deve acontecer com a volta dos trabalhos. De qualquer forma, a Lei Orgânica do DF não permite a reeleição e essa é a regra vigente. Tudo mais é especulação”, diz. 
Para o líder do governo na CLDF, Wasny de Roure, o tema é polêmico. “A minha bancada, do PT, já se posicionou contra. Mas precisamos entender que não basta ser contra, tem de entender a razão de ser. Sabemos que não é tradição, no âmbito federal e nem estadual, a reeleição da mesa. Essa matéria precisa ser discutida antes de saírem pegando assinaturas, para evitar constrangimentos”, alerta.  
Fonte    ALLINE FARIAS  Redação Jornal da Comunidade

Geraldo Magela: ‘Unimos transparência à habitação’

por Jeova Rodrigues

Editar
Geraldo Magela é um dos fundadores do PT-DF, servidor de carreira do Banco do Brasil está em Brasília há mais de 40 anos. Filho de Araxá (MG), dedicou sua vida a luta sindical e à política, onde já foi deputado distrital por vários mandatos e deputado federal.
Na Secretaria de Habitação do DF trabalha unindo a tecnologia à vontade de atender à população em sua maior carência: a moradia, com seriedade e transparência.
Tem uma meta, atender as pessoas que precisam de um lugar para morar sem agredir em sua formação urbana. Nessa entrevista ao Brasília Agora, Magela fala da megaconvocação que fez a pessoas inscritas no cadastro habitacional e de como está desenvolvendo a política de habitação da cidade.

Brasília Agora – Magela a sua secretaria divulgou esta semana uma lista de quase 13 mil famílias que podem se habilitar para adquirir um imóvel financiado pelo programa de habitação. Esta foi a primeira lista deste governo?
Geraldo Magela – Não. Com essa divulgação chegamos à vigésima milésima família atendida desde abril deste ano. Vinte mil pessoas selecionadas em quatro convocações. Fizemos em abril e junho três convocações que chegaram a sete mil. Agora estamos finalizando esta primeira fase do programa em parceria com o governo da presidente Dilma Rousseff.
E qual é a meta do governo em termos de habitação?
A nossa meta é até o final de 2014 chegarmos a 100 mil habitações. É provável que nem todas estejam construídas, mas queremos deixá-las contratadas, já estarão sendo construídas e vamos colocar dentro do DF 100 mil novas unidades.
É praticamente uma cidade que está sendo construída?
Na verdade é uma população de uma cidade que está sendo colocada em vários adensamentos, porque o que percebemos é que o governo não deveria criar uma nova cidade, pois isso demanda muitos custos, principalmente de infraestrutura. Então estamos trabalhando com as áreas que nós temos em cidades que já existem.
Quais são as cidades que serão adensadas?
São várias. Um exemplo que posso te dar é o Riacho Fundo II, ali existem espaços que podemos usar para instalar estas famílias em suas novas casas, sem criar demandas de transportes, demandas de infraestrutura e várias demandas que conseguimos trabalhar melhor usando espaços que já existem.
Secretário, o déficit atual de moradia em Brasília é de 300 mil famílias?
Nós temos registradas no cadastro, 330 mil pessoas, mas existem muitas pessoas que ainda são jovens, entre 18 e 25 anos, faixa em que a demanda por moradia é menor. Nós trabalhamos com um número de 170 mil famílias como um déficit confiável.
A secretaria divulgou uma nova lista de convocados para se habilitarem à moradia. O que mudou do que era feito nos governos anteriores para o que é feito agora?
A primeira grande mudança foi garantir transparência, porque no passado a pessoa inscrita sabia quantos pontos ela tinha no cadastro, mas ela não sabia quantas pessoas estavam à frente dela. Além disso, o cadastro era aberto, poderia ser alterado todos os dias, não era um cadastro confiável. Então a pessoa não tinha confiança de que um dia seria beneficiado.
O que foi feito para mudar isso?
Primeiro garantimos transparência. Colocar tudo na internet, fazer uma pontuação eletrônica. Portanto, ela é feita para todas as pessoas e é apresentada rigorosamente pela ordem de classificação. Com isso garantimos a credibilidade ao cadastro.
Magela, antigamente dava-se casas, depois no governo Roriz passou-se a dar lotes e agora oferece-se o financiamento para a pessoa adquirir o imóvel. Mudou a filosofia?
Sim, foi uma mudança de filosofia, de forma de trabalho que nós tivemos que fazer por causa da forma errada que as pessoas utilizavam o cadastro como negócio. Então tinha muita gente que recebia casa, vendia e se inscrevia novamente, recebia de novo e vendia de novo.
Em outros casos, tinha gente que recebia imóveis várias vezes e nós acabamos com isso, a pessoa só pode ser atendida uma única vez. Isso deixava muitas famílias que precisavam sem atendimento.
Mudou também o formato. Agora são oferecidos apartamentos e casas estilo flat?
Sim, estamos seguindo a orientação do Minha Casa Minha Vida que é parceiro do Morar Bem. A pessoa recebe a unidade, com uma prestação que cabe dentro do seu salário e que garante a ela uma relação de parceria com o governo que lhe oferece a moradia, mas não pede nada em troca, o governo apenas dá as condições para a pessoa morar e usufruir dos equipamentos de infraestrutura, o que acaba gerando renda em forma de impostos.
No passado também existia aquela prática da pessoa receber a casa e pouco tempo depois vender e logo depois se inscrever novamente e ganhar nova casa. Como está sendo tratado isso?
Nós estamos tratando isso com muito rigor. Hoje a pessoa recebe e é devidamente identificada e não volta a receber novamente. Também não atendemos quem já receber benefícios em qualquer outro programa de habitação. O governo tem obrigação de atender a demanda de habitação uma vez e não várias vezes, por isso estamos sendo tão rigorosos nesse cuidado.
A preferência para atendimento continua sendo para a mulher mãe de família?
Sim essa é uma das exigências da parceria do Minha Casa Minha Vida. Que estabelece a política da principalidade da mulher, porque estudos sociológicos indicam que quando acontece a separação de um casal, a mulher é quem fica com os filhos, portanto, ela tem o direito de permanecer na casa, por isso toda documentação sai em nome da mulher.
Todo este programa é uma parceria com o governo federal, como e esta parceria?
O governo federal entra com o financiamento, nós entramos com a terra, construção, água, luz e outras necessidades de infraestrutura.
Recentemente o senhor assumiu o seu mandato na Câmara, foi só para ajudar o governador Agnelo no caso Cachoeira ou havia outras demandas?
Inicialmente eu e o deputado Paulo Tadeu deixamos o governo para apoiar o governador no depoimento do caso Cachoeira porque temos a convicção de que todas as gravações que o governador era citado eram tentativas inócuas de colocar a máquina do Cachoeira dentro do GDF e conseguimos provar que isso não aconteceu.
Em que a Secretaria irá contribuir para a Copa de 2014?
A nossa secretaria é responsável pela área tombada da cidade. A Copa do Mundo e a das Confederações são momentos em que Brasília poderá desenvolver ainda mais uma de suas principais vocações, que é o turismo de eventos. Temos que preparar Brasília para que se transforme em um centro mundial de eventos, é isso que temos que conquistar com a realização das duas Copas em Brasília e no Brasil.
Como o senhor está vendo a política para 2014?
Ainda é cedo para se fazer qualquer previsão. A política de Brasília muda muito e ela só se resolve nos últimos minutos. Já vimos isso na eleição do Arruda, quando o Paulo Octávio vinha bem, despontando como o nome que seria candidato ao GDF e acabou virando vice. O governo Arruda, todos sabem, deu no que deu. O governador Agnelo pegou uma Brasília como terra arrasada, agora é que conseguimos dar uma organizada e começar a trabalhar. Até 2014 tem muita coisa para acontecer, o que espero é que nossa coligação continue forte e consiga levar adiante esse projeto de resgatar o orgulho das pessoas de serem de Brasília.
Brasília Agora

União pelo desenvolvimento do DF



Pela primeira vez, Executivo, Legislativo e setor produtivo se uniram para atrair investimentos internacionais ao Distrito Federal
 Numa ação integrada para impulsionar o desenvolvimento econômico do DF, o Governo do Distrito Federal, a Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF) e o setor produtivo se uniram pela primeira vez para atrair investimentos estrangeiros para a capital do país. Em missão internacional, o governador Agnelo Queiroz, o presidente da CLDF, deputado Patrício, o presidente da Federação das Indústrias do DF (Fibra), Antônio Rocha, e uma comitiva divulgaram Brasília como um centro tecnológico e digital a empresários e conheceram experiências bem-sucedidas que transformaram regiões ociosas em grandes parques industriais.
A convergência de esforços ficou evidente na apresentação da palestraInvest in Brasilia (Invista em Brasilia) em Cingapura, Xangai (China) e Munique (Alemanha). Os três apresentaram as potencialidades da capital federal e demonstraram o alinhamento entre o Executivo, o Legislativo e o setor produtivo.
“Até agora, o Distrito Federal não disputava as oportunidades que o mercado mundial oferecia. Mas esse quadro mudou. O Brasil vive um momento muito importante e, Brasília em especial, está despertando o interesse dos empreendedores internacionais. Para atrairmos investidores, temos que mostrar a união dos poderes com o setor produtivo”, disse o governador.
Segundo o presidente da CLDF, deputado Patrício, a comitiva voltou da viagem internacional com resultados concretos. “Essa troca de experiência foi muito importante. Constatamos como é possível desenvolver regiões a partir de um planejamento urbano minucioso. É preciso retomar isso na capital federal e planejar o crescimento do DF para os próximos 30 anos”, disse. Patrício antecipou que o projeto de criação de um centro financeiro em Brasília será colocado em pauta na Câmara Legislativa assim que forem retomadas as atividades dos deputados distritais neste segundo semestre.
O presidente da Fibra, Antônio Rocha, enfatizou a força econômica do DF e sua capacidade de se expandir.“Brasília reúne as condições para fomentar o setor produtivo. Seu desenvolvimento econômico é cuidadosamente programado pela atual gestão e plenamente apoiado pelo Poder Legislativo”, afirmou.
Parque Digital – O presidente da Terracap, Antônio Carlos Lins, retornou da missão internacional liderada pelo governador Agnelo Queiroz muito otimista, especialmente, pelo interesse estrangeiro que o Parque Tecnológico Capital Digital despertou. Por isso, segundo ele, é possível que seja prorrogado o período de consulta pública sobre o projeto por mais 15 dias.
Outro projeto que empolgou Lins é o de criação de um centro financeiro no DF. “Não existe nenhum no Hemisfério Sul e Brasília tem todas as condições de hospedá-lo, como de Nova York, Hong Kong, Dubai (Emirados Árabes) e Londres”,afirmou.
Além de apresentar os atrativos da capital federal aos empreendedores internacionais, os integrantes da comitiva puderam conhecer exitosas experiências econômicas e urbanas que poderão servir de exemplo para projetos no DF.
De acordo com o secretário de Desenvolvimento Econômico, Abdon Henrique de Araújo, a transformação de Cingapura em 30 anos foi impressionante. Em 1965, a renda per capita na cidade-estado era de U$ 576 e saltou para aproximadamente U$ 50 mil, em 2011. O desemprego atingia 9% da população em 1965 e caiu para 2,1%, em 2011. “A cidade-estado investiu nas adaptações necessárias ao seu desenvolvimento e na infraestrutura para atrair empresas de todo o mundo, dentro de um planejamento minucioso”, afirmou.
Para o deputado distrital Cristiano Araújo, o poder de realização dos asiáticos é um exemplo. “Tivemos oportunidade de conhecer novas tecnologias. O que mais impressionou foi o Parque Industrial e Tecnológico de Suzhou. A meia hora de Xangai, o local é um grande complexo de desenvolvimento econômico”, destacou.
Segundo ele, o Parque Tecnológico Capital Digital está no caminho certo e tem todas as condições de fazer semelhante sucesso ao de Suzhou. “Os projetos que conhecemos tiveram grande preocupação em investir na capacitação de profissionais para os segmentos da área de tecnologia. É nesse caminho que a Secretaria de Ciência e Tecnologia aposta e vai investir na capacitação, especialmente a de jovens”, disse.
Transporte– Foi embarcado ontem (28), de Xangai (China) para Brasília, o ônibus elétrico que será testado na capital federal a partir de setembro. A intenção do governador Agnelo Queiroz é instalar uma fábrica desse modelo de veículo no DF. O presidente da TCB, Carlos Koch, que integrou a comitiva do governador, explicou que o GDF trabalha nesse projeto desde 2011.
O ônibus apresentado a Agnelo Queiroz e a integrantes do GDF em Xangai foi desenvolvido especialmente para testes de campo em Brasília. Quando começar a circular pela capital, será possível avaliar aspectos de engenharia, adaptação às rodovias da região e, então, promover as alterações necessárias. Atualmente, circulam pela China cerca se 1,5 mil ônibus elétricos, o que faz do país referência no uso desse tipo de veículo.
Resíduos sólidos – A vocação de Brasília para o desenvolvimento verde também foi destacada na missão internacional. Exemplo disso foi a celebração de um protocolo de intenções assinado entre o GDFe a empresa alemã Steag, uma das maiores especialistas em resíduos sólidos e geração de energia. Ele vai viabilizar estudos sobre a destinação dos resíduos sólidos no DF e também sobre como usá-los para a produção de energia em usinas térmicas.
O documento prevê também a capacitação de especialistas da Agência Reguladora de Águas, Energia e Saneamento Básico do DF (Adasa). "Um protocolo de intenções como esse é importantíssimo, porque a Alemanha é o país mais adiantado do mundo nessa questão dos resíduos sólidos", disse o diretor-presidente da Adasa, Vinicius Benevides.
Mais detalhes

quinta-feira, 26 de julho de 2012

Desemprego no DF cai pelo quarto mês seguido



Setores de Serviços e da Construção Civil foram os principais responsáveis pela geração de novos postos de trabalho
 A taxa de desemprego no Distrito Federal apresentou leve queda no mês de junho, de acordo com a Pesquisa de Emprego e Desemprego (PED/DF), divulgada na manhã desta quarta-feira (25) pela Secretaria de Trabalho (Setrab). Foram criados 8 mil postos formais de trabalho, o que diminuiu a taxa de desemprego total de 13% em maio para 12,9% em junho.
 A redução no desemprego se deve, principalmente, ao acréscimo de 15 mil pessoas no número de ocupados no setor de Serviços, com destaque para as áreas de Tecnologia da Informação, Telecomunicações e Serviços Gráficos. “Esse é o quarto mês consecutivo de estabilidade com pequenas reduções no nível de desemprego no DF. A expectativa é de que a queda continue até o fim do ano”, ressaltou o secretário de Trabalho, Washington Luiz Sales.
 A Construção Civil também teve bom desempenho, com a contratação de 3 mil trabalhadores e crescimento de 12,5% nos últimos 12 meses - valor acima da média nacional, de 8,1%. As políticas públicas de capacitação promovidas pelo Governo do Distrito Federal estão entre os motivos da melhoria no desempenho do setor construtivo. Um dos exemplos promissores é o Qualificopa, programa de qualificação social e profissional voltado para a Copa do Mundo de 2014.
 A pesquisa, feita em parceria com a Companhia de Planejamento do Distrito Federal (Codeplan) e o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), indicou, ainda, geração de empregos superior ao número de pessoas que entraram para a população economicamente ativa – um total de 6 mil. “A taxa de ocupação cresceu o suficiente para dissolver a pressão no mercado de trabalho e reduzir a taxa de desemprego”, explicou a coordenadora da pesquisa no Dieese, Adalgiza Lara Amaral.
 Formalização – O setor privado, que gerou 7 mil postos de trabalho, registrou aumento de 1,3% no contingente de assalariados com carteira assinada e redução de 2,1% dos sem carteira assinada, o que representa 2 mil pessoas fora da informalidade. O tempo médio de procura por trabalho, por sua vez, foi de 41 semanas – três semanas a menos do que no mesmo período de 2011.
 Investimentos – De acordo com a pesquisa, nos últimos 12 meses, o setor da Indústria teve redução de 6 mil postos, uma retração de 12,8%. O resultado acentua o perfil não industrial do DF, na avaliação do diretor de Gestão de Informações da Codeplan, Júlio Miragaya. “A indústria representa apenas 1,5% do PIB do Distrito Federal, mas temos que buscar uma posição no setor, que tem um peso grande na economia”, reconheceu Miragaya.
A viagem do governador Agnelo Queiroz e comitiva em busca de investimentos e experiências no exterior e a criação do Parque Tecnológico Cidade Digital em Brasília são algumas das iniciativas que prometem reverter esse perfil. Para o presidente da Codeplan, Salviano Guimarães, a capital do país tem potencial para atrair novas empresas e consolidar o setor industrial como força econômica.
 “Brasília, por seus altos índices de renda, escolaridade e infraestrutura, é favorável para investidores que queiram se instalar no Brasil. A cidade é atrativa, também, por ter um mercado consumidor grande”, destacou Salviano Guimarães, que também citou as melhorias que virão com os recursos do governo federal por meio do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).
 De acordo com o secretário de Trabalho, os investimentos do governo do DF na indústria terão resultados relevantes nos níveis de emprego. “A estimativa é de que até o segundo semestre de 2013 tenhamos novos postos de trabalho no setor”, afirmou Washington Luiz Sales.


-- 
Mais detalhes

segunda-feira, 23 de julho de 2012

GDF realiza limpeza do Buraco do Tatu Equipes utilizam produtos biodegradáveis e água para limpar o local




Em parceria com a Administração Regional de Brasília, Novacap,  SLU, Secretaria de Obras, Departamento de Estradas e Rodagens e Casa Civil, foi realizada na manhã deste domingo, 22 de julho, uma limpeza geral do Buraco do Tatu, que contou com dezenas de caminhões de água e produtos de limpeza biodegradável e antipichação.

Para o Administrador de Brasília, Messias de Souza, a limpeza geral do Buraco do Tatu deve ser realizada normalmente a cada três meses, mas “mais importante do que limpar é consertar as áreas danificadas”. Messias comentou que alguns pedaços da parte superior começaram a sair e serão retirados para evitar acidentes. O objetivo é deixar Brasília cada vez mais acessível, protegida e cuidada. Foram realizadas varrições e limpeza da rua e limpeza geral das paredes e muros.

Estiveram presentes na operação o Vice-Governador, Tadeu Filippelli, o Secretário de Transportes, José Walter Vasquez, o Diretor Administrativo da Novacap, André Fortes, o Diretor de Operações do SLU, Delival Lemos, o Diretor do DER, Fauzi Nacfur, o Diretor de Obras da Administração de Brasília, Carlos Perpétuo, o Diretor de Urbanismo, Leandro Mariani e o Gerente de Obras, Carlos Renato.  

Fotos: Thiago Miranda

domingo, 22 de julho de 2012

Delegação brasiliense entra na última semana da missão internacional



Além da China, esta semana comitiva liderada pelo governador Agnelo Queiroz passará por Alemanha e Itália. Grupo já esteve nos Emirados Árabes e Cingapura

Brasília, 22 de julho de 2012 – O governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz, e comitiva entram na última semana da missão internacional que está divulgando Brasília como centro tecnológico e digital. A delegação já passou pelos Emirados Árabes Unidos, Cingapura e, agora, está China. Ainda nesta semana a equipe terá agenda oficial na Alemanha e na Itália.

Nesta segunda-feira (23), entre outros compromissos, o governador apresentará a palestra “Invest in Brasilia” (Invista em Brasília) para empresários chineses, a exemplo do que já ocorreu em Cingapura. Lá também a delegação apresentou às instituições o projeto do Parque Tecnológico Capital Digital, cujo edital de licitação, da Terracap, para buscar a parceria privada para a gestão do empreendimento, está em fase de consulta pública.

A comitiva partiu no último dia 13 e teve como primeiro destino Dubai, nos Emirados Árabes. Lá, visitou o Dubai Media City e Dubai Internet City, maior centro de negócios de Tecnologia da Informação e Comunicação do Oriente Médio e do Norte da África, abrigando empresas internacionais e regionais. Ainda em Dubai, o grupo conheceu a infraestrutura hoteleira da região, integrada por cerca de 150 hotéis de diferentes categorias.

A delegação brasiliense também passou por Iskandar, na Malásia, principal corredor de desenvolvimento regional. A cidade tem como focos principais oportunidades de investimentos, capacitação profissional, qualidade de vida, compras e lazer. Tudo isso viabilizado a partir de grandes parcerias com a iniciativa privada.

Governador e comitiva seguiram, então, para Xangai, na China, onde conheceram o modelo de ônibus elétrico que chegará em setembro para ser testado em Brasília. Agnelo Queiroz destacou que investir na melhoria do transporte público no DF é prioridade da atual gestão. Ele explicou que o diferencial do ônibus elétrico é o uso de energia limpa, o que o torna ecologicamente correto. Esse novo tipo de veículo já estará em circulação regular durante a Copa do Mundo de 2014.

Ainda na China, a delegação visitou o Parque Industrial e Tecnológico de Suzhou, um grande complexo de desenvolvimento econômico, onde vivem e trabalham 700 mil pessoas. A comitiva brasiliense seguiu, então, para o Aeroporto Hongqiao, com o objetivo de conhecer o modelo de integração dos sistemas ferroviário e de metrô. O grupo conheceu ainda o Bureau de Planejamento Municipal de Xangai.

A viagem faz parte da missão internacional do governador, para conhecer os modelos dos melhores polos digitais do mundo e trocar experiências no setor de mobilidade e planejamento urbanos.

Além de Agnelo Queiroz, integram a comitiva os secretários de Estado de Desenvolvimento Econômico, Abdon Henrique de Araújo, e de Comunicação Social, Samanta Sallum; o porta-voz, Ugo Braga; a chefe da Assessoria Internacional do GDF, Flávia Malkine; os presidentes da Terracap, Antônio Carlos Lins, e da Sociedade de Transportes Coletivos de Brasília (TCB), Carlos Alberto Kock; o diretor-presidente da Agência Reguladora de Águas, Energia e Saneamento Básico do DF (Adasa), além dos deputados distritais Patrício (presidente da Câmara Legislativa) e Cristiano Araújo, bem como o presidente da Federação das Indústrias do Distrito Federal (Fibra), Antônio Rocha.

--
Mais detalhes

sexta-feira, 20 de julho de 2012

Rodoviária do Plano Piloto ganha novos elevadores e escadas rolantes



GDF investirá mais de R$ 5,5 milhões na modernização dos equipamentos
 O Governo do Distrito Federal começará a substituir os elevadores e escadas rolantes da Rodoviária do Plano Piloto nesta terça-feira (17). O GDF investirá aproximadamente R$ 5,5 milhões na troca dos equipamentos - R$ 4,5 milhões com as escadas e R$1,1 milhão nos elevadores.“Nossa meta é estar, em 30 de março de 2013, com o complexo de escadas rolantes e elevadores da rodoviária totalmente substituído e em operação permanente”,observa o governador em exercício, Tadeu Filippelli. “Compramos o que há de melhor, com a tecnologia mais adequada possível”, completa.
O contrato prevê a troca das 12 escadas rolantes – oito na rodoviária e quatro no acesso à estação do metrô– e dos seis elevadores do terminal. O documento estabelece, ainda, 24 meses de manutenção garantida tanto para as escadas quanto para os elevadores. Segundo o governador em exercício, nesse período o GDF tomará as providências necessárias para consolidar um serviço de manutenção dos equipamentos. Para não haver paralisação total dos equipamentos, o trabalho será dividido em etapas e os locais de montagem e desmontagem, parcialmente interditados.
Na primeira fase dos serviços, a ser iniciada amanhã (17), serão instaladas seis escadas rolantes -quatro na rodoviária e duas no acesso ao metrô. O trabalho deve terminar no começo de outubro. “A previsão é estar com seis escadas - feitas sob medida, blindadas e com eixo reforçado - prontas em 1º de outubro, quando entrarão em operação experimental para eventuais ajustes. Nessa mesma data começaremos a instalação do primeiro elevador”, explica Tadeu Filippelli.
Na segunda etapa, também prevista para outubro, serão colocadas mais seis escadas rolantes, trabalho que deve durar 90 dias. A substituição dos elevadores também começa nesse mesmo mês, quando chegarão os equipamentos. Segundo o governador em exercício será instalado um equipamento mensalmente.

Mais detalhes

quarta-feira, 18 de julho de 2012

Alimentação Saudável




Quem se ama se cuida, já dizia a velha frase.  A obtenção da qualidade de vida pode evitar doenças e ajudar a viver de forma tranquila e mais intensa. Escolher os alimentos certos na hora certa é a forma mais sábia de se obter saúde, disposição e bem estar no dia a dia.
Aumentar o consumo de frutas e hortaliças para a prevenção de doenças crônicas: hipertensão, dislipidemias, diabetes, doença coronariana e alguns tipos de câncer é um bom começo para o cuidado com a saúde.
Algumas orientações que podem ajudar na melhora da sua qualidade de vida:
ü Mantenha um peso saudável e evite também o
aumento da cintura;
ü Faça atividade física todos os dias;
ü Coma arroz e feijão todos os dias acompanhado de legumes e vegetais folhosos;
ü  Reduza o açúcar. Evite tomar refrigerantes;
ü Diminua a quantidade de sal na comida e retire o saleiroda mesa. Evite consumir alimentos industrializados com muito sal (sódio);
ü Aumente o consumo de temperos naturais como cebolinha, alho e cebola;
ü Faça bom uso das frutas. Elas são saudáveis, apetitosas e possuem muitas vitaminas e minerais;
ü Não pule refeições;
ü Dê preferência aos grãos integrais e aos alimentos na sua forma mais natural;
ü Fique atento aos rótulos dos alimentos e compre sempre aqueles que possuem menor quantidade de gordura trans;
ü  Beba bastante água e dê preferência ao consumo dela nos intervalos das refeições.
Não é assim tão difícil! Alimentar-se bem é um hábito! Apenas comece. Dê o primeiro passo na direção do seu bem estar!  . Prazer é um objetivo de vida. É o que dá qualidade á vida!  
Fonte: Guia Alimentar – Ministério da Saúde

Grazielle Gonçalves da Silva
Nutricionista CRN1/7548
Bacharel em Nutrição pelo Centro Universitário Unieuro
Pós graduanda em Nutrição Esportiva pela Estácio de Sá – Instituto Laboro
 
Local de atendimento:




Policlínica Água Branca
Quadra 202 - Conjunto 1 - Lote 19/20 - Bairro Residencial Oeste - 
SÃO SEBASTIÃO | CEP: 71692-501Brasília, DF
3339-1718


Novo Conselho Diretor do Rotary Clube de Brasilia






Tomou posse neste sábado, dia 07/07/2012, o novo Conselho Diretor do Rotary Clube de Brasilia - Norte. O rotariano  Eilton Oliveira do Nascimento é o novo  presidente  do Clube e sua esposa Rosimeiry Nascimento, assumiu a presidência da Associação de Senhoras de Rotarianos, a CASA DA AMIZADE.
.
Rotarianos e autoridades prestigiaram o evento. O atual governador Gercy Camelo foi representado pelo Governador Assistente Leopoldo Chaves e sua esposa Élida Chaves, foi a representante da Coordenadora Distrital Helena Camelo Leão.

Mais de 150 rotarianos estiveram presentes, além dos os ex-governadores Ronaldo Carneiro, Luiz Gustavo, Julio Cesar Pimentel e o Governador 2014/2015 Demetrius Contoyannis. Foi uma noite de muito companheirismo.

Professores Ariel Paiva e Alexandre Frota dão dicas sobre Qualidade de Vida associada ao Exercício Físico e Alimentação Saudável



O mundo vive uma época em que a vaidade está em alta. Remédios emagrecedores, cirurgias plásticas e dietas radicais são assuntos do dia a dia. Porém, a maioria das pessoas esquece-se de cuidar da saúde. Qualidade de Vida é o método usado para medir as condições de vida de um ser humano, o seu estado de espírito e principalmente para que haja uma integração mente, corpo e sociedade, obtendo um melhor relacionamento com o seu corpo e  assim, evitando doenças.
A atividade física é definida como o movimento do corpo produzido pelos músculos esqueléticos que requer gasto energético e produza benefícios à saúde. Sua prática regular supervisionada  diminui os fatores de riscos cardíacos, pois está associada à melhora do condicionamento cardiorrespiratório. Estima-se que no ano de 2020 as doenças cardiovasculares serão responsáveis  pela morte de 20 milhões de pessoas. A realização de exercícios físicos regulares  tende a melhorar as condições cardíacas, musculares, resolvendo assuntos de obesidade e emagrecimento.
 Conforme a Organização Mundial de Saúde, não basta apenas fazer atividade física regularmente, outros fatores devem estar presentes, tais como: a saúde, a educação, a alimentação, o bem estar físico, psicológico, emocional, mental e o exercício correto  acompanhado por um profissional da área .
A atividade física é muito importante, por ser capaz de irrigar mais ativamente o cérebro, possibilitando uma vida mais ativa.
Benefícios da prática regular de atividades físicas:
  • Redução da pressão arterial;
  • Melhora da resistência insulínica;
  • Melhora da força muscular e da mobilidade articular;
  • Controle do peso corporal;
  • Melhora do perfil lipídico;
  • Maior condicionamento físico;
  • Aumento da autoestima;
  • Melhora no bem-estar geral, alívio do stress e redução da depressão;
  • Manutenção da autonomia com melhora nas relações interpessoais.
 A alimentação saudável  é um fator muito importante para a obtenção dos resultados positivos e desejados durante a realização dos exercícios físicos.
Estando bem alimentado, seu corpo responde melhor aos exercícios. O resultado você vê no espelho: as gordurinhas somem rapidinho e os músculos aparecem.

Nunca deve-se ir para a academia com mais de quatro horas de jejum. Fazer um lanche leve, uma hora antes do treino, faz toda a diferença. Isso melhora a performance e acelera seu metabolismo.
O lanche pré-treino, pode ser o detalhe que falta para a perda mais rápida das dobrinhas que estão sobrando e ganhar músculos. “Sem glicogênio (a energia vinda dos carboidratos), o corpo tem mais dificuldade de queimar gordura. Pior, rouba proteína da massa magra para usar como combustível. E aí lá se vai o músculo e a gordura fica. Além disso, existe o risco de hipoglicemia (baixa de açúcar no sangue), que provoca tontura e até desmaio. Mas não é qualquer alimento que resolve. Dependendo do intervalo que você tem entre comer e treinar, deve priorizar alguns nutrientes e dispensar outros, buscando melhorar o rendimento. “Até uma hora e meia antes do treino, coma proteína (ovo, atum, peito de peru), importante para a recuperação e a manutenção dos músculos, e carboidrato (pães e biscoitos integrais e frutas), que faz com que o organismo consuma açúcares e gordura durante o exercício. 
O Espaço Saúde & Treinamento/Saúde & Alimentação localizado no 2º piso do Shopping Jardim Botânico, pode lhe oferecer tanto o exercício físico acompanhado de uma avaliação específica com um profissional qualificado como um espaço para uma alimentação saudável e prazerosa.