DAQUI, o Jornal do Distrito Federal

segunda-feira, 1 de setembro de 2014

​Terceira fase de vacinação contra HPV é iniciada no DF


Meta é atingir 64.882 meninas entre nove e treze anos

Começa nesta segunda-feira (1º) a terceira fase de vacinação contra o vírus HPV no Distrito Federal. O público-alvo é composto por meninas entre nove e 13 anos e a meta é imunizar 64.882 garotas.

Nas duas fases anteriores, a Secretaria de Saúde administrou mais de 80 mil doses. A vacina protege contra quatro tipos de vírus, sendo dois deles, sorotipos 16 e 18, responsáveis por 70% de todos os casos de câncer de colo de útero.

“Nós administramos três doses nos períodos de zero, dois e seis meses para imunizar as meninas contra o vírus, e vamos sempre às escolas. Também identificamos as meninas que não tomaram doses anteriores e aplicamos as doses iniciais”, explicou a chefe do Núcleo de Imunização, Eudóxia Dantas.

Eudóxia ressaltou outros métodos de prevenção das doenças sexualmente transmissíveis, como o uso de preservativo. No entanto, ela fez um alerta: “O uso de camisinhas é importante, mas lesões causadas por HPV conseguem ser transmitidas mesmo com o uso do preservativo. É importante ficar atento aos parceiros sexuais e realizar a higiene de forma adequada”, complementou.

AMPLIAÇÃO - O ano passado marcou o início da vacinação do HPV em meninas e adolescentes de 11 a 13 anos. Nesse ano, o DF ampliou a vacinação para a faixa de nove a 13.
Apenas no ano inaugural, aproximadamente 50 mil meninas foram imunizadas com as três doses da vacina. As etapas foram todas realizadas nas escolas.

SAIBA MAIS - Os HPVs são vírus capazes de infectar a pele e as mucosas. A transmissão se dá por contato direto com o local infectado, sendo que a principal forma de transmissão é pela via sexual.

Quando a infecção persiste, ela pode resultar no desenvolvimento de lesões precursoras, progredindo para o câncer, principalmente no colo do útero, mas também na vagina, vulva, ânus, pênis, orofaringe e boca.

De acordo com o Instituto Nacional de Câncer (Inca), existem mais de 100 tipos diferentes de HPV, sendo que 40 deles podem infectar o trato ano-genital. Para evitar o surgimento do câncer de colo do útero é importante que as mulheres façam exames preventivos (papanicolau ou citopatológico), que podem detectar as lesões precursoras. Quando essas alterações que antecedem o câncer são identificadas e tratadas, é possível prevenir a doença em 100% dos casos.

As lesões clínicas se apresentam como verrugas ou lesões denominadas condilomas acuminados e popularmente chamadas "crista de galo", "figueira" ou "cavalo de crista". Têm aspecto de couve-flor e tamanho variável. Nas mulheres, podem aparecer no colo do útero, vagina, vulva, região pubiana, perineal, perianal e ânus. Em homens, podem surgir no pênis (normalmente na glande), bolsa escrotal, região pubiana, perianal e ânus. Essas lesões também podem aparecer na boca e na garganta, em ambos os sexos.

Um comentário:

  1. Olá, gostaria que verificassem este caso grave de efeito colateral, que há quatro meses sofre com paralisia, dores e até mesmo precisou de cirurgia para entupimento de veias, que aliás, não é isolado, existem diversos casos me sendo comunicado por mães desesperadas. Infelizmente a mídia tem se omitido e ignorado esta grave situação.

    http://www.noticiasnaturais.com/2014/09/vacina-hpv-menina-de-13-anos-de-resenderj-tem-distrofia-simpatico-reflexa-e-15-veias-obstruidas-apos-vacinacao

    Mais detalhes também neste dossie vacina HPV, com diversos outros casos gravíssimos:
    http://www.noticiasnaturais.com/2014/03/dossie-vacinacao-contra-hpv-conheca-o-perigo-que-ela-representa-e-tome-uma-decisao-informada/

    ResponderExcluir