DAQUI, o Jornal do Distrito Federal

terça-feira, 22 de julho de 2014

O balanço positivo do Mundial

Teve Copa sim e foi um sucesso. O Mundial em Brasília demonstrou a capacidade da capital em realizar eventos de grande porte. O balanço positivo de todas as áreas envolvidas garante a tranquilidade da população em conviver com turistas nacionais e internacionais e com grande quantidade de pessoas circulando pelas ruas e comércios locais. O resultado é que a cidade recebeu milhares de turistas, não registrou nenhuma ocorrência de destaque e a mobilidade urbana fluiu como o esperado.
O Mané Garrincha recebeu 478.218 torcedores, o segundo maior público acumulado entre as arenas do Mundial. A média é de 68,3 mil espectadores por partida. A disputa pelo terceiro lugar, no sábado (12/7), foi o 50º evento do novo estádio, que já recebeu 1,3 milhão de brasilienses e turistas em pouco mais de um ano de funcionamento.
O antigo estádio recebeu 340 mil pessoas em 36 anos de funcionamento. “Estamos na rota dos grandes eventos esportivos e culturais. Pesquisa da Codeplan mostra que cada grande evento no estádio gera dois mil empregos diretos e indiretos e movimenta até R$ 12 milhões na economia do DF”, afirmou o secretário Extraordinário da Copa, Cláudio Monteiro.
Segurança – A operação de segurança pública para a Copa transcorreu em clima de tranquilidade. Foi cumprido o protocolo de ações com eficiência no período de 12 de junho a 13 de julho. Operação da Polícia Civil do DF resultou na prisão de 18 brasileiros e 18 estrangeiros, autuados por venda ilegal de ingressos. Ao todo, foram 725 tíquetes apreendidos, sendo que 19 foram bilhetes falsos: 706 comercializados nas imediações do Mané Garrincha, Torre de TV, Rodoviária do Plano Piloto, Setor Hoteleiro Sul e shoppings da cidade.
A ocorrência mais grave registrada foi uma tentativa de homicídio, no Estádio Nacional Mané Garricha. Dois argentinos foram acusados de agredir dois brasileiros durante o jogo entre Argentina e Bélgica, no dia 5 de julho. Uma das vítimas teve lesão em um dos olhos e escoriações pelo rosto, mas não houve complicações e não está mais hospitalizada.
A operação de Segurança Pública nos dias de jogos contou com 3.488 policiais militares, civis, federais, bombeiros, auditores de trânsito e equipes da Comissão Nacional de Energia Nuclear (CNEN), no interior e nos arredores do estádio.
50 mil atendimentos de 85 nacionalidades até o dia 10 de julho, número que pode aumentar depois da divulgação do balanço final. O Ministério do Turismo estima que passou pela capital 490 mil turistas.
Brasília foi uma das cidades que mais se beneficiou com os jogos. O secretário de Turismo, Luis Otávio Neves, diz que a capital está no eixo do turismo brasileiro e internacional. “Ela foi muito bem avaliada por todos os turistas que aqui passaram. Os resultados são positivos e nós estamos colhendo diversos frutos”, destaca.
Mobilidade - Em relação à mobilidade urbana, não houve dificuldade em se chegar à arena. O Metro registrou um aumento de 30% no número de usuários nos dias de jogos. O transporte público foi realmente a melhor opção para acessar o estádio. Em média, 40 mil pessoas foram transportadas por dia, segundo a Secretaria de Transportes.
Linhas de ônibus convencionais funcionaram normalmente, e linhas especiais sem cobrança de tarifa facilitaram o acesso ao Mané Garrincha. Aos motoristas que estacionaram os veículos nos bolsões do Parque da Cidade contaram com linhas de ônibus na área central, com parada próxima ao estádio.

Nenhum comentário:

Postar um comentário