DAQUI, o Jornal do Distrito Federal

sexta-feira, 1 de fevereiro de 2013

Programa da Capoterapia: “a ginga dos mais vividos” e CAPOEIRA oferece 2.000 vagas gratuitas para o DF e entorno




Desde 1998, o capoeirista brasiliense Mestre Gilvan constatou que havia escassez de políticas públicas e de atividades específicas para a terceira idade.
Nascia no Distrito Federal a capoterapia – capoeira adaptada para a terceira idade – como modalidade lúdica, capaz de atrair pessoas e tirá-las do sedentarismo. “O trabalho com a Capoterapia, iniciado por mestre Gilvan em nossa unidade de saúde, aliado a outras atividades que oferecemos como o tai chi chuan, a dança, as sessões de alongamento e a ‘terapia do abraço’ têm atraído muitos idosos para atividades que são fundamentais para o seu bem-estar físico e psíquico”, explica o coordenador de terapias corporais do Centro de Saúde 7 de Ceilândia, DF, Dr. Geovane Gomes da Silva.
Uma das diferenças da capoeira tradicional para esse novo método está no ritmo e na intensidade. Assim como na capoeira, na capoterapia há a ginga, movimento tradicional da capoeira, e os alunos têm pequenas noções da esquiva, que é o ato de se desviar de um golpe. Mas, evidentemente não há saltos, nem golpes mais contundentes, que possam expor os idosos a acidentes e lesões.
A capoterapia pode ser praticada, inclusive, por cegos, pessoas com déficit mental ou com seqüela motora (cadeirantes). Apenas pessoas com doença cardíaca grave devem evitar, pois nestes casos qualquer esforço físico mais intenso é uma ameaça a sua saúde. Como a maioria dos grupos de capoeira funciona em centros de saúde, os próprios médicos alertam os pacientes sobre a viabilidade ou não de fazer a capoterapia. E, o que é mais importante, na capoterapia há o respeito ao ritmo de cada um e ninguém é obrigado a praticar.  Somente o lhe dá vontade e prazer.
Nas dependências do campus da. Universidade Católica de Brasília em Taguatinga (DF), a prática da capoterapia tem um aliado fervoroso, um defensor entusiasta. É o professor Ronaldo Rodrigues da Silva. Doutor em Educação, ele integra o corpo docente do curso de Graduação em  Educação Física e de Pós-Graduação Lato- Sensu em Educação Física Escolar Ronaldo coordena o LAPEDEF – Laboratório de Práticas Pedagógicas do Curso de Educação. Nessa entrevista, ele fala das iniciativas de sua instituição de ensino no âmbito dos programas de atendimento ao idoso e fala sobre os resultados práticos da capoterapia.
Como o senhor avalia o programa de capoterapia desenvolvido na Católica?
De excelência, pois é reconhecida no Brasil nos programas de extensão em todas as
Universidades do País. Por isso, é uma, atividade com alto nível de procura pela clientela da terceira idade
Quais são os benefícios que a capoterapia tem trazido para o bem estar físico e mental dos idosos atendidos na Católica.
Afetividade pela união dos participantes em grupos e melhorias das qualidades físicas e mentais. O aspecto social é um ponto forte nesse processo, o prazer, a satisfação e a alegria de poder ocupar seu devido espaço na Física sociedade.
As vantagens para o público da terceira idade são inúmeras. Quanto aos benefícios físicos, diminui a dependência química de remédios para hipertensão, diabetes, colesterol. Provoca, ainda, a recuperação do vigor, amplia a força muscular, ocasiona a amplitude dos membros inferiores e superiores, tonicidade muscular. Entre os benefícios sociais da capoterapia estão a integração grupal e a ampliação do círculo de amizades. A “ginga dos mais vividos”, como é chamada a terapia, também é um auxiliar importante no combate à depressão e à solidão, despertando nos praticantes a recuperação da auto-estima e do prazer de viver.
Na prática, as aulas de capoterapia se iniciam com uma sessão de aquecimento e alongamento, para preparar a musculatura. Em seguida, vêm as cantigas de roda, quando o grupo canta clássicos da música infantil, como “ciranda ciradinha” e da música popular, como “acorda Maria bonita, levanta vem fazer o café”. As atividades reproduzem rotinas domésticas, como lavar, passar ferro, estender a roupa no varal.
O ideal é que a capoterapia seja praticada de duas a três vezes por semana. Como a Associação Brasileira de Capoterapia ainda não dispõe de multiplicadores em número suficiente para atender a demanda, a entidade está oferecendo cursos de capacitação para formar novos agentes do programa. Além disso, os idosos são estimulados a praticar em casa, sozinhos, os exercícios para os quais são orientados nas vivências de capoterapia.
Dentro da capoterapia, ainda são realizadas algumas terapias como a “Campanha do Abraço”,Gincana do Afeto  onde se busca resgatar o senso de cordialidade e a descontração, estimulando as pessoas a trocarem o “calor humano”, em gestos afetivos, como instrumento de valorização do outro. Durante a “Terapia do abraço” ocorre a campanha “Você já abraçou seu filho, hoje?” Gincanas do Afeto nas escolas
Maiores informações 061 3475-2511 ou 99622511 mestre Gilvan 


Ceilândia 
2ª feira às 08:00h – Centro de Saúde n.º 05 Ceilândia    Mestre Gilvan
2ª e 4° feira às 10:30h Cantinho do Girassol rua do Bombeiro de Ceilândia Paulo Henrique
 61 9528-0103 
3ª feira às 07:30h – Centro de Saúde n.º 07 QNO    Mestre Barto
2ª a 6ª feira 16 ás 18 h Centro Olímpico Parque Vaquejada Ceilândia Prof. Willian   
3ª e 5ª feira 08 ás 09 h Centro Olímpico Parque Vaquejada Ceilândia Prof. Willian
4ª e 6ª feira 08 ás 11 h Centro Olímpico Parque Vaquejada Ceilândia Prof. Willian

Taguatinga
3ª  feira às 08:00h – Sede Ladainha QNL 30 Cj “A” Lotes 31/33 Tia Sonia
3ª feira às 08:00h – Associação dos Idosos de Taguatinga / Paradão
3ª feira às 19:30h – Sede Ladainha QNL 30 Cj “A” Lotes 31/33 Mestres Gilvan e Jacaré
4ª feira às 08:00h – Centro de Saúde n.º 02 Praça do Bicalho     Mestre Gilvan
4ª feira às 09:30h – Abrapec  QNA 32  Taguatinga          Mestre Gilvan
5ª feira às 08:00h – Sede Ladainha QNL 30 Cj “A” Lotes 31/33 Mestre Gilvan
5ª feira às 09:00h – Associação dos Idosos de Taguatinga / Paradão  Mestre Gilvan
5ª feira às 19:30h – Sede Ladainha QNL 30 Cj “A” Lotes 31/33 Mestres Gilvan e Jacaré
6ª feira às 08:00h – Centro de Saúde nº 6 Tag Sul  Prof. Patrícia
6ª feira às 09:30h – Universidade Católica de Brasília / Bloco G UnATI    Mestre Gilvan
5ª feira às 18:00h – Taguaparque Pistão Norte (Administração)    Mestre Gilvan

Núcleo Bandeirante
6ª feira às 15:00h – Salão da Igreja São João Bosco – N. Bandeirante

Asa Sul
5ª feira às 07:30h – Centro de Saúde 613 sul Mestre Risomar  61 8203-3047 ou 96771814


Nenhum comentário:

Postar um comentário