DAQUI, o Jornal do Distrito Federal

sábado, 3 de março de 2012

Estádio Nacional de Brasília é exemplo de responsabilidade social



Governador Agnelo Queiroz almoçou neste sábado com os 3 mil  operários da obra para celebrar conquista da certificação internacional SA 8000, que atesta a responsabilidade social na relação com os trabalhadores

Brasília, 03 de março de 2012 – O governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz, celebrou neste sábado, em almoço com os 3 mil operários que trabalham na construção do Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha, a obtenção de um importante certificado internacional, a SA 8000 (Social AccountAbility 8000). Acompanhado da primeira-dama Ilza Queiroz, o governador foi saudado por um grande número de trabalhadores durante todo o tempo em que esteve presente no local.
“É fantástico saber que estamos fazendo uma obra para os próximos cem anos e ganhando prêmios. Irei aos Estados Unidos ainda neste ano para apresentar a obra como exemplo de respeito ao meio ambiente. E, agora, fomos premiados com um certificado que aponta o cumprimento de padrões salariais e de segurança do trabalho. A nossa presidenta (Dilma Rousseff) assinou nesta semana, no Palácio do Planalto, um acordo para garantir condições de trabalho a esses profissionais e nós já estamos fazendo isso aqui, na prática”, frisou Agnelo Queiroz.
O selo SA 8000 atesta a aplicação de práticas sociais do emprego e foi criado com base nas normas da Organização Internacional do Trabalho (OIT), na Declaração Universal dos Direitos Humanos e na Declaração Universal dos Direitos da Criança da Organização das Nações Unidas (ONU).
Para comprovar o atendimento aos requisitos, as empresas e instituições são submetidas a auditorias por técnicos especializados de renomadas entidades independentes. O certificado só é concedido àquelas organizações que cumprem totalmente os requisitos, que envolvem os seguintes aspectos: proibição do trabalho infantil e do trabalho forçado, segurança e saúde no trabalho, liberdade de associação e direitos coletivos, proibição de discriminação (sexual, raça, política, nacionalidade etc) e remuneração e carga horária de trabalho adequadas, entre outros.
Durante o evento, o governador defendeu a Capital Federal das declarações recentes do secretário-executivo da FIFA, Jérôme Valcke, de que as obras para a Copa no Brasil estão em estado crítico e que os organizadores precisavam de um "pontapé no traseiro" para as coisas caminharem.
“Essa declaração não se aplica a Brasília. Nós estamos absolutamente dentro do calendário e teremos o melhor estádio da Copa, com entrega um ano e meio antes do evento. Há um esforço também em torno de obras em várias áreas, como mobilidade urbana. Brasília tem uma situação tranqüila”, destacou Agnelo Queiroz.
Ecoarena – O Estádio Nacional de Brasília também caminha para ser o primeiro na história a receber o certificado máximo de sustentabilidade. O selo Leed Platinum é reconhecido internacionalmente e garante que a construção é altamente sustentável. Atualmente, nenhum estádio de futebol no mundo possui esse selo.
O conceito de arena verde começou ainda na criação do projeto do novo estádio. Na construção são usados materiais recicláveis ou reciclados. Tudo o que saiu do antigo estádio foi reaproveitado na própria obra ou doado a cooperativas de reciclagem do DF. Com a derrubada da última arquibancada, por exemplo, o entulho foi transformado em brita para ser reutilizado na concretagem do piso da arena.
Depois de pronto, o estádio terá captação de energia solar e de água da chuva. A arena será capaz de gerar 2,5 megawatts de energia, o que corresponde ao abastecimento de mil residências por dia.
Obras adiantadas – A obra da arena é uma das mais adiantadas do Brasil, com 52% de sua execução concluída. A arquibancada inferior está finalizada e a intermediária, em estágio avançado. Atualmente, cerca de 3 mil operários atuam no canteiro, em três turnos.

O Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha está sendo construído para a Copa do Mundo de 2014 e, mais do que isso, para os próximos 50 anos da capital federal. A arena será entregue em 31 de dezembro de 2012, a tempo da Copa das Confederações (2013), evento teste para o mundial de futebol, do qual Brasília será um das anfitriãs.

O estádio será uma arena multiuso adequada para receber eventos e shows de grande porte e não apenas partidas de futebol. Antes mesmo da Copa do Mundo de 2014, o estádio passará por uma licitação internacional para que uma empresa especializada em entretenimento o administre e potencialize o desenvolvimento econômico da capital federal, gerando renda e emprego, além de pagar o aluguel da arena. A empresa vencedora ficará responsável por inserir Brasília em um calendário de eventos e shows internacionais, mantendo a economia da capital federal aquecida.

Brasília tem uma das maiores rendas per capita do país, é um museu a céu aberto das obras de Oscar Niemeyer e tem vocação para o turismo. A meta do Governo do Distrito Federal, portanto, é aproveitar esta oportunidade única de realizar a abertura da Copa das Confederações (2013) e receber sete jogos da Copa do Mundo (2014) para potencializar investimentos necessários para hoje e para o futuro de Brasília e para fazer com que a capital federal se encontre com sua vocação: o turismo.

Obras de infraestrutura, investimentos na qualificação profissional e no desenvolvimento do turismo, com geração de emprego e renda, serão os principais legados que os grandes eventos esportivos deixarão à capital federal.

Mais detalhes

Nenhum comentário:

Postar um comentário