DAQUI, o Jornal do Distrito Federal

sábado, 31 de dezembro de 2011

Hospital da Criança será ampliado


GDF consegue liberação de R$ 18 milhões pelo Ministério da Saúde para construção do segundo bloco do hospital. Previsão é de que as novas instalações estejam funcionando em março de 2013
31/12/2011 08h38
BRITO

O ano de 2011 termina com uma grande conquista para o Distrito Federal. O Ministério da Saúde liberou, nesta sexta-feira, R$ 18 milhões para a construção do segundo bloco do Hospital da Criança de Brasília José Alencar. Serão investidos ainda R$ 2 milhões do orçamento do DF. A previsão é que as obras comecem em março de 2012 e durem 12 meses.
“Com esses recursos, iremos realizar o sonho de ter o Hospital da Criança funcionando de forma completa, o que é um dos compromissos do meu governo. Hoje, do jeito que está, ele já é um dos melhores hospitais do País, com atendimento humanizado, profissionais de ponta e equipamentos de alta tecnologia. E vai ficar ainda melhor quando nós o completarmos”, destaca o governador Agnelo Queiroz. “Desde a inauguração do primeiro bloco, o hospital vem tendo uma procura gigantesca. Só em novembro, foram atendidas 3.300 crianças com patologias graves, como câncer”, informa o governador.
A liberação dos recursos para a construção do segundo bloco é resultado de emenda da bancada do Distrito Federal no Congresso Nacional e de negociações entre o governador Agnelo Queiroz e o ministro da Saúde, Alexandre Padilha.
O secretário de Saúde em exercício, Elias Fernando Miziara, comemorou a liberação do recurso. “A continuidade das obras é a garantia de que será implantada no DF a mais moderna medicina especializada no atendimento a crianças”, afirma. “O Hospital da Criança será referência para todo o país”, ressalta Miziara.
A obra será realizada pela Organização Mundial da Família (WFO), criada pela Organização das Nações Unidas (ONU) em 1947 com o objetivo de reunir famílias europeias separadas pela 2ª Guerra Mundial.  No dia 21 deste mês, o GDF e a WFO celebraram convênio para a construção, que prevê ainda um aporte financeiro de 20% do valor da obra pela organização internacional.
Segundo a presidente da Associação Brasileira de Assistência às Famílias de Crianças Portadora de Câncer e Hemopatias (Abrace), Ilda Peliz, a tecnologia de construção que será utilizada pela WFO fará com que o novo prédio custe cerca de 30% mais barato do que uma obra convencional do mesmo porte. “O hospital será construído em aço e alumínio na Nova Zelândia e será apenas montado em Brasília, o que reduzirá significativamente o tempo da obra”, informa Ilda. Serão instalados no segundo bloco os centros cirúrgicos, a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e o centro de internação permanente.
Capacidade – O Hospital da Criança foi inaugurado no Dia Nacional de Combate ao Câncer Infanto-juvenil, 23 de novembro, depois de anos de espera e ausência de solução por parte das gestões anteriores. Somente neste ano, com o governo de Agnelo Queiroz, foi encontrada a solução jurídica que garantiu que finalmente fosse firmado convênio entre o GDF e a Abrace para a abertura do Hospital da Criança. Pelo convênio, o governo repassa recursos para a manutenção da unidade e a Abrace o administra. Além disso, a atual gestão já investiu mais de R$ 7 milhões em equipamentos, como máquinas de raio-x e tomógrafos.
A unidade tem capacidade para atender a 27 mil pacientes por mês. É referência em patologias de média e alta complexidades infanto-juvenis, como problemas cardíacos e câncer. De acordo com a presidente da Abrace, Ilda Peliz, são oferecidas consultas, diagnóstico básico, cirurgias, quimioterapia e diálise. “O mais importante é que esse local foi feito para garantir um tratamento de qualidade, com equipamentos modernos e profissionais qualificados”, destacou Ilda Peliz.
Agência Brasília

Nenhum comentário:

Postar um comentário