DAQUI, o Jornal do Distrito Federal

sábado, 3 de dezembro de 2011

Parque Olhos D’Água será ampliado


Governador Agnelo Queiroz determina que Secretaria do Meio Ambiente acelere trâmites para incorporação de nova área. GDF realiza hoje consulta pública sobre o tema com a população

Brasília, 2 de dezembro de 2011 – O governador Agnelo Queiroz assinou hoje ofício para que a Secretaria do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semarh) acelere os trâmites no processo de incorporação de uma nova área ao Parque Olhos D’Água, na Asa Norte. A determinação atende reivindicação antiga dos brasilienses, e a comunidade foi convocada para manifestar sua opinião sobre o tema durante Consulta Pública que a Semarh e o Instituto Brasília Ambiental (Ibram) promovem neste sábado.
A proposta de ampliação do Executivo prevê que uma área de sete hectares, situada entre as superquadras 212 e 213 da Asa Norte, seja incorporada ao parque. Isso representa 33% a mais na área total da unidade de conservação – que hoje possui 21 hectares. A expansão integra as ações do programa Brasília, Cidade Parque, desenvolvido pela Semarh e Ibram com o objetivo de criar novas unidades de conservação e melhorar a estrutura e a preservação daquelas já existentes. Os dois locais serão ligados por uma passagem subterrânea sob a via L1. A nova área também receberá infraestrutura, como ciclovias e pontos de encontro comunitários.
A área a ser incorporada era destinada, desde 2000, a uma projeção comercial. Visto que o espaço é sensível do ponto de vista ambiental, pela existência de nascentes, o governador Agnelo Queiroz entendeu que a área deve ser incorporada ao parque. “O GDF indenizará o proprietário. Essas negociações ficarão a cargo da Terracap. E as projeções da UnB (Universidade de Brasília), também na área, serão realinhadas para que não atinjam as nascentes”, destacou Agnelo Queiroz, informando que o Ibram deve oficializar a proposta do novo projeto nos próximos dias.
Segundo o secretário de Meio Ambiente e Recursos Hídricos, Eduardo Brandão, a preservação da área é o que precisa ser garantido. “A indenização será resolvida. O que importa é que nós do governo atendemos uma reivindicação da população de Brasília e a área será preservada”, afirmou.
O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) e o Ministério Público são favoráveis ao projeto. Em reunião com a Semarh e o Ibram, no dia 24 de novembro, as instituições se posicionaram a favor da incorporação da área. A consulta pública sobre o tema está marcada para as 16h deste sábado 3), no auditório da Ordem dos Advogados do Brasil no DF (SEPN 516, Bloco B, Lote 7, Asa Norte).
 
Mais detalhes
Secretaria de Comunicação
Governo do Distrito Federal


Nenhum comentário:

Postar um comentário