DAQUI, o Jornal do Distrito Federal

segunda-feira, 21 de maio de 2012

Professores da UnB iniciam greve por tempo indeterminado nesta segunda





Paralisação das atividades foi aprovada na última sexta em assembleia.
Outras 39 instituições federais estão em greve, segundo sindicato.

Do G1 DF
2.242 professores faziam parte do quadro de funcionários da UnB em dezembro
Os professores da Universidade de Brasília (UnB) iniciam nesta segunda-feira (21) greve por tempo indeterminado. A medida foi decidida pela maioria dos 176 docentes que participaram da assembleia da Associação dos Docentes da UnB (Adunb) na última sexta-feira (18). Em dezembro do ano passado, a UnB tinha 2.242 professores. Por meio da Secretaria de Comunicação, a instituição informou que não vai ser pronunciar sobre o assunto.
A principal reivindicação da categoria é a reestruturação do plano de carreira, que, segundo professores, é discutida desde o ano passado com o governo federal. Na última sexta-feira (18), o Sindicato Nacional dos Docentes de Ensino Superior (Andes-SN) divulgou que professores de 39 universidades federais estavam em greve.  A paralisação das atividades docentes começou após reunião no último dia 12 com 43 representantes das Instituições Federais de Ensino Superior (IFES).
No quinto dia de greve nacional dos docentes de ensino superior, alguns professores da Universidade de Brasília (UnB) começam a aderir a mobilização. (Foto: Wilson Dias/ABr)No quinto dia de greve nacional dos docentes de ensino superior, alguns professores da Universidade de Brasília (UnB) começam a aderir a mobilização (Foto: Wilson Dias/ABr)
O presidente da Adunb, Ebnezer Nogueira, disse que desde março o Ministério do Planejamento não apresenta propostas. “No ano passado nós sentamos com o ministério, negociamos e chegamos a um acordo. O que combinamos é que em março a pasta apresentaria propostas, mas passou abril e maio está chegando ao fim e até agora nada”, afirmou Nogueira.

De acordo com o Ministério do Planejamento, a medida tem um impacto financeiro de R$ 1,5 bilhão nas contas públicas, montante já previsto no Orçamento de 2012 aprovado no Congresso e sancionado pela presidente Dilma.
G1 procurou o Ministério do Planejamento, que não se pronunciou até a publicação desta reportagem.

O presidente da Adunb disse que o principal ponto da negociação é a equiparação salarial de professores com diploma de doutorado com profissionais de outras áreas. “Na UnB, um professor com doutorado começa ganhando R$ 5 mil por mês. Já na Ciência e Tecnologia, por exemplo, o pagamento sobe para R$ 10 mil. Isso não é justo, é um aumento de 100%. Queremos a equiparação salarial”, afirmou.

Reajuste
A partir do próximo mês, os professores terão um reajuste de 4%, retroativo a março, por conta  de MP publicada na segunda-feira (14) no "Diário Oficial da União", que prevê a criação de gratificações, mudanças em planos de cargos e reajuste nos salários de servidores públicos. As medidas beneficiarão quase 1 milhão de funcionários, segundo o governo.
A MP 568/2012 autoriza alguns benefícios de imediato. No caso das gratificações, o benefício será concedido a partir de 1º de julho de 2012. A medida entra em vigor já nesta segunda, mas ainda precisa ser votada no Congresso no prazo de 90 dias. Uma comissão de parlamentares será criada para analisar o texto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário