DAQUI, o Jornal do Distrito Federal

sexta-feira, 31 de agosto de 2012

Lançamento de livro sobre Torre Digital abre Semana JK



A história do monumento mais visitado do Distrito Federal é contada, em detalhes, pelo escritor e jornalista Silvestre Gorgulho
 O governador Agnelo Queiroz participou, na noite desta sexta-feira (31), da abertura da Semana JK-2012. O evento ocorreu na Torre Digital e foi marcado pelo lançamento do livro A Flor do Cerrado: Torre de TV Digital de Brasília, de autoria do jornalista, escritor e ex-secretário de Cultura do DF, Silvestre Gorgullho.
“O livro tem grande significado, porque conta a história desse fantástico monumento, tão importante para Brasília”, destacou o governador Agnelo Queiroz.“É uma honra para todos nós. Queremos fazer de Brasília essa capital grandiosa, do tamanho do sonho de JK e de todos os brasileiros”, acrescentou o governador.
Agnelo Queiroz entregou a Maristela Kubitscheck, filha de Juscelino Kubitscheck, um troféu em forma da Torre Digital com a célebre frase do ex-presidente: “Deste Planalto Central, desta solidão que em breve se transformará em cérebro das mais altas decisões nacionais, lanço os olhos mais uma vez sobre o amanhã do meu país e antevejo esta alvorada com uma fé inquebrantável e uma confiança sem limites no seu grande destino”. O troféu simbolizou a abertura da Semana JK-2012. “Tenho certeza de que JK está olhando do alto da torre por todos nós. Se vivo fosse, ele viria para fazer uma serenata em todo pôr do sol que tivesse aqui nesse mirante”, declarou Maristela.
Com o belo cenário proporcionado pela vista de uma das pétalas da Torre de TV Digital, amigos do escritor Silvestre Gorgulho, jornalistas e autoridades, como o vice-governador do Distrito Federal, Tadeu Filipelli, e diversos secretários de Estado, prestigiaram o lançamento do livro que relata todo o processo de construção do mais novo monumento do DF e mais recente obra projetada pelo arquiteto Oscar Niemeyer na cidade. O livro recebeu como título o apelido dado pelo próprio criador: Niemeyer batizou o ponto turístico como “Flor do Cerrado”. A edição traz informações e histórias curiosas sobre os bastidores da obra.
“Este livro tem dois objetivos principais. O primeiro é contar toda a história da torre, o monumento mais visitado de Brasília e um dos mais recentes de Oscar Niemeyer. O segundo é marcar o começo da Semana JK-2012 e prestigiar um grande presidente e estadista”, ressaltou o autor Silvestre Gorgulho.
Em uma edição bilíngue de 240 páginas, recheada de fotos e com prefácio de Maristela Kubitschek, o livro teve tiragem de 7 mil exemplares, sendo 10 deles em braile.
Gorgulho, que acompanhou e documentou o processo de construção da Torre Digital, detalhou todas as etapas da obra iniciada em julho de 2008. Antes de cada capítulo, é feita uma homenagem a Brasília ou a Oscar Niemeyer. O jornalista incluiu em seu livro o nome dos 741 operários, do lavador de carros ao engenheiro, que trabalharam na construção da torre.
A publicação relata ainda o tempo em que a construção ficou paralisada, até o período em que o governador Agnelo Queiroz assumiu o GDF e se comprometeu a retomar a obra, inaugurada no aniversário de 52 anos de Brasília, em 21 de abril de 2012.
A apresentação do grupo de percussão feminino Batalá e a performance de um casal de malabaristas que desceu a Torre Digital de rapel, seguida de uma serenata, também marcaram a noite de lançamento do livro.
Estrutura– O monumento é um atrativo turístico e terá a função de garantir a transmissão do sinal digital, o que beneficiará os brasilienses com imagens de TV em alta definição. Segundo levantamento da Secretaria de Turismo (Setur), realizado entre maio e julho deste ano, a Torre de TV Digital é o monumento mais visitado do Distrito Federal.
Localizada em um dos pontos mais altos do DF, na região do Colorado, a Flor do Cerrado ocupa uma área de 8,5 mil m² e tem 185 metros de altura. Dos 120 metros construídos em concreto (outros 65 metros serão de estrutura metálica da torre de transmissão), surgem duas ramificações laterais semelhantes a galhos. Nas extremidades estão cúpulas em formato similar a pétalas. Três elevadores, com capacidade para 12 pessoas, levam os visitantes aos três pavimentos.
É possível apreciar a torre e dela contemplar a capital sob diversos ângulos. Do mais surpreendente deles, o mirante, avistam-se todos os pontos da capital a 120 metros do solo. O espaço dispõe de janelões com dois metros de diâmetro cada um e tem a capacidade para abrigar 74 pessoas.
Os boxes para as emissoras também estão prontos, cada um deles com 90m² distribuídos em sala geral, sala de operações e banheiro, além de um estacionamento com 746 vagas. A próxima etapa da obra é a compra e instalação da antena, bem como a ocupação dos boxes pelas TVs.
Também participaram da solenidade de lançamento administradores regionais, parlamentares e a neta de Oscar Niemeyer, Ana Lúcia Niemeyer.
Mais detalhes

Nenhum comentário:

Postar um comentário