DAQUI, o Jornal do Distrito Federal

sábado, 26 de janeiro de 2013

Brasília no caminho do crescimento


O Distrito Federal registrou crescimento de 3% no terceiro trimestre de 2012 em relação ao ano de 2011. O acumulado de janeiro a setembro foi de 2,9%, segundo dados do Índice de Desempenho Econômico do Distrito Federal, divulgados nesta sexta-feira 25 pela Companhia de Planejamento.
O resultado positivo, segundo a Codeplan, mostra que a capital do país tem desempenho acima da medida nacional, que cresceu apenas 0,9% no mesmo período.  Para o economista Newton Marques, professor da Universidade de Brasília, os números colocam Brasília em uma posição “privilegiada”, já que o resultado está “bem acima” do registrado no resto do país.
Segundo Marques, que também é integrante da presidência da Codeplan, a pesquisa foi pensada justamente para fazer um acompanhamento mais “real” e “próximo” do crescimento da cidade, sem esperar pelo levantamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que divulga o PIB apenas três anos depois que as informações foram colhidas.
 “Não há dúvida de que Brasília ocupa uma posição privilegiada em relação ao resto do país. Mas é preciso analisar a forte presença dos serviços e também da Administração Pública. O governo movimenta a economia, gerando empregos, fazendo obras, contratando empresas”, explicou o professor da UnB ao Brasil 247.
O setor de serviços, que responde por mais de 90% de toda a atividade econômica do DF, cresceu 3,2% entre os meses de julho e setembro do ano passado. A Adminsitração Pública contribuiu com 2,5% de crescimento.
Newton Marques destaca ainda que o crescimento da renda e a queda na taxa de juros impulsionaram o consumo. “O destaque fica para o comércio, que registrou crescimento de 8,6%, com as vendas impulsionadas pela redução no IPI [Imposto Sobre Produto Industrializado] para carros zero quilômetro e eletrodomésticos da linha branca”, detalhou à reportagem.
Mau desempenho
Já a agropecuária, que teve um desempenho surpreendente no início de 2012, com crescimento de 5%, apresentou queda no terceiro trimestre, com resultado negativo: -22,8%. Segundo a Codeplan, o número negativo é resultado da redução da área plantada, reduzindo assim a produção total de produtos como tomate, feijão e soja.
2013
Diferente do que é esperado para o resto do país, o economista Newton Marques está otimista com o desempenho da capital do país em 2013. Para ele, se o setor público continuar com o nível de investimentos, fazendo obras e contratando pessoas, o DF “não vai ter um pibinho”, e sim um crescimento novamente acima da média nacional.
 Juliane Sacerdote_Brasília 247

Nenhum comentário:

Postar um comentário