DAQUI, o Jornal do Distrito Federal

quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

1º Festival Internacional de Artes


De hoje até 12 de fevereiro, GDF promove mostra internacional inédita que levará música, performances artísticas e exibições audiovisuais para diversas regiões administrativas do DF. Programação é totalmente gratuita e conta com grandes artistas do Brasil e do exterior
 
 Começa nesta quarta-feira (4) o 1º Festival Internacional de Artes de Brasília (Festiartes), realizado pelo Governo do Distrito Federal, por meio de uma parceria entre as secretarias de Estado de Cultura e Educação. A programação vai até o dia 12 de fevereiro e traz como destaques os cantores Gilberto Gil, Paulinho da Viola, Ney Matogrosso, Milton Nascimento e Vanessa da Mata, além de atrações internacionais, como o Circo da China.
“Este festival estimula o mercado cultural da cidade e amplia as opções de cultura e lazer, porque será um evento gratuito, em diversos pontos do Distrito Federal”, destacou o governador Agnelo Queiroz. O festival será realizado no Teatro Nacional, Centro de Convenções, Biblioteca Nacional, Museu da República, Cine Brasília e regiões administrativas.
O secretário de Cultura, Hamilton Pereira, afirma que a intenção do Festival é democratizar o prazer de apreciar diferentes manifestações culturais no conjunto de cidades do DF. “Queremos ir além dos eventos e oferecer reflexões sobre a diversidade cultural, além do contato com ícones da cultura brasileira”, destacou.
A programação do Festiartes traz ainda nomes como Pedro Mariano, Trio Corrente, a cirandeira pernambucana Lia de Itamaracá e o mexicano Jorge Fernández. Haverá também mostras de cinema, teatro, dança, exposições e oficinas.
Atrações nacionais – Paulinho da Viola será o destaque da primeira noite de festival, na Sala Villa-Lobos do Teatro Nacional Claudio Santoro, com Reco do Bandolim e o Grupo Choro Livre fazendo a abertura. A entrada será franca e os ingressos serão distribuídos a partir das 14h. Cada pessoa poderá retirar um par de ingressos. No dia 10 de janeiro será a vez de Gilberto Gil subir no mesmo palco, precedido pela brasiliense Ellen Oléria.
No fim do mês, os shows ficam por conta de Vanessa da Mata, que se apresenta dia 27 no Teatro Nacional e dia 28 no Ginásio de Esportes de Sobradinho. Em fevereiro é Ney Matogrosso quem chega à capital, com a turnê Beijo Bandido, no dia 3. O show de Milton Nascimento ainda terá a data definida.
Atrações internacionais – Os artistas internacionais vão se concentrar na parte audiovisual do Festiartes. De 4 a 8 de janeiro será realizada a mostra de cinema Imagens do Oriente. A capital receberá 11 longas, sete média-metragens, cinco curtas de animação e cinco outros curtas produzidos por jovens cineastas iranianos. Eles vão se encontrar com estudiosos brasileiros, árabes e descendentes para realizar produções com temáticas pertinentes ao Oriente Médio.
Um ano de investimentos – Neste primeiro ano de gestão, o novo Governo do Distrito Federal tirou o DF da situação de colapso institucional, promovendo um verdadeiro processo de reconstrução institucional, de credibilidade, de autoestima e da imagem pública da capital do país.
As Políticas Públicas de Cultura tiveram seus fundamentos nos resultados da 3ª Conferência Distrital de Cultura. Trinta pré-conferências – uma em cada Região Administrativa – e mais 17, divididas por linguagens, totalizaram 47 assembleias que mobilizaram cerca de 6 mil pessoas, aprovaram as Diretrizes Gerais das Políticas Públicas de Cultura e instituíram os Conselhos Regionais de Cultura, além de eleger os conselheiros regionais.
O Fundo de Apoio à Cultura (FAC) do Distrito Federal adquiriu centralidade como instrumento de Fomento das Políticas Públicas de Cultura. Essa medida assegurou a democratização do acesso aos recursos públicos, a descentralização da aplicação desses recursos, o respeito à diversidade das expressões culturais que Brasília abriga, com transparência para definir a vocação do FAC como ferramenta indispensável ao desenvolvimento da cultura no Distrito Federal. Além de honrar compromissos dos exercícios de 2009 e 2010, o FAC investiu R$ 35 milhões, por meio de editais, para apoiar iniciativas culturais nas 30 Administrações Regionais do DF.
A reconstrução do Fórum dos Secretários de Cultura do Centro-Oeste (MS, MT, GO e DF) reposicionou as Políticas Públicas de Cultura, coordenando suas ações na disputa de recursos da União, via Fundo Constitucional (FCO), com vistas a fortalecer as cadeias produtivas da Economia Criativa na região.
A aprovação da Lei de Subvenção ao Carnaval, aprovada pela Câmara Distrital em dezembro de 2011, reconhece a legitimidade social e cultural de uma expressão inseparável da identidade do país.
A realização do processo licitatório – o primeiro em mais de cinco anos – promovido pela Secretaria de Cultura do DF para oferecer à capital do país a festa da virada do ano conferiu transparência às relações entre Estado e sociedade.
Houve ainda a realização da 44ª Edição do Festival de Cinema, o lançamento do Plano do Livro e da Leitura e as iniciativas da sociedade que receberam apoio do GDF, como o Cena Contemporânea.
Perspectivas para 2012 – O Governador Agnelo Queiroz enviará à Câmara Legislativa a Lei de Incentivo à Cultura logo na abertura dos trabalhos na Casa, no começo de fevereiro. O objetivo é que a lei entre em vigência ainda neste exercício, ampliando a oferta de recursos para o setor de forma a qualificar os bens e serviços culturais a que a cidadania tem direito.
A Política Pública de Cultura requer a realização de grandes eventos, que constituem momentos de síntese entre outras políticas de governo: educação, inclusão social, juventude, ciência e tecnologia, e sustentabilidade socioambiental.
 
 
Mais detalhes

Nenhum comentário:

Postar um comentário